O ETERNO PAPEL DE SER MÃE

Por Andréia Pereira Bonoto – Psicóloga e Psicoterapeuta – CRP 12/05698

 

     Ser mãe é um dos papéis mais desafiadores na vida de uma mulher! Ser responsável por uma vida, acompanhar seu desenvolvimento, oportunizar aprendizado em cada momento da rotina diária, oferecer suporte físico e emocional… são tantas as responsabilidades delegadas a uma mãe!

 

     Este é um papel que costuma chegar de repente, com apenas alguns meses de preparação e muitas mudanças em todas as áreas da vida. As mulheres são estimuladas a estudar e se preparar durante anos para exercer determinados papéis, mas a maternidade ainda é vista como algo natural e inato. No entanto, é fundamental que as mulheres busquem informações, troquem experiências com outras mães e tenham espaços para refletir sobre os temas ligados à maternidade. Este é um texto dedicado às mães, no entanto, os pais ou outros cuidadores também podem se identificar e refletir sobre as informações expostas.

 

      A vida escolar da criança e do adolescente é uma etapa fundamental na construção do adulto que está sendo formado. O cérebro da criança se desenvolve intensamente desde sua concepção até aproximadamente 24 anos. Desta forma, todas as experiências vividas no decorrer desses anos serão fundamentais para a construção dos próximos anos de vida daquele indivíduo. Com isso, todas as etapas da vida escolar devem ser acompanhadas pelas mães de forma que a criança se sinta segura, compreendida e estimulada a conquistar a autonomia possível para cada fase do seu desenvolvimento.

 

      O grande desafio das mães é oferecer ao filho suporte e presença em uma dose que permita que a criança ou adolescente se sinta acolhido em suas dores e dificuldades e, ao mesmo tempo, seja encorajado a buscar caminhos próprios para lidar com os desafios que a vida apresenta. Um bebê ou criança pequena que esteja iniciando sua vida escolar precisa sentir na mãe e nos novos cuidadores a segurança e tranquilidade necessárias para que o vínculo de segurança que a criança tinha com a mãe possa se ampliar para o ambiente escolar. Quanto mais gentil, acolhedor e respeitoso for esse processo, melhor será a base de segurança para que a criança possa explorar o mundo, criar independência, confiança e auto-estima.

 

      Já uma criança mais velha que esteja vivenciando desafios na relação com outros colegas de turma precisa que a mãe demonstre interesse e empatia em relação ao que está acontecendo com ela, converse sobre o que ocorreu, como a criança se sentiu e como ela reagiu. Ouvir essas informações e acolher a criança é fundamental para que a mãe possa, então, transmitir conhecimento e ideias que possam ajudar a criança a lidar com a situação vivida e aprender

com a experiência. Se a etapa de acolhimento for muito curta ou inexistente é muito provável que a criança não esteja pronta para ouvir os ensinamentos, não conseguindo absorver as informações que são expostas a ela.

 

      Já a mãe de adolescente tem o desafio de viver o distanciamento dos filhos, que estarão buscando encontrar o seu próprio lugar no mundo. A essência da adolescência é composta por entusiasmo emocional, entrosamento social, busca de novidades e criatividade. Desta forma, é recomendado que o adolescente tenha o “espaço” necessário para viver estas experiências, com o acompanhamento, supervisão e orientação dos pais. É importante ter em mente que esse acompanhamento não deve ser realizado de forma rígida, controladora e punitiva, mas sim, a partir do diálogo, reflexão, influência e responsabilização pelas atitudes tomadas. A partir disso, deve-se buscar o equilíbrio para que o adolescente viva as experiências dessa fase sem perder o foco de sua vida escolar.

 

      É possível perceber que cada fase de um filho traz demandas e desafios diferentes para as mães, o que exige que estas busquem constantemente rever suas posturas e modificar suas atitudes de acordo com o desenvolvimento da criança e do adolescente! Manter vivos a conexão, o amor e o respeito na relação entre mães e filhos é o grande segredo para superar os desafios que a criação de um filho impõe. Parabéns a todas as mães que se dedicam à nobre tarefa de educar e formar os adultos do futuro!

 

“O mundo que vamos deixar para nossos filhos depende dos filhos que vamos deixar para este mundo”

Mário Sérgio Cortella

 

Andréia Pereira Bonoto

Psicóloga e Psicoterapeuta – CRP 12/05698

Mestre em Psicologia – UFSC

Supervisora, Facilitadora e Terapeuta Certificada em EMDR

 

www.ressignificarpsicologia.com.br

contato@ressignificarpsicologia.com.br

(48)3241-7111

Rua Fúlvio Aducci, 1214 – Philippi Business Center – Sala 408 – Estreito – Florianópolis

Voltar

Deixe seu comentário: